segunda-feira, 21 de maio de 2007

Ao esconderijo. Para fugir do sol
encontrar estrelas
décimo corredor última porta, à esquerda
Bom-dia. Seja bem-vindo.
Fique à vontade. Talvez nem tanto.
Tenho um segredo.
Lembra da noite em que eu ainda não lhe conhecia
e fui ver meu declínio terminar no mar?
Eu apontei estrelas cadentes
praguejando aquelas mentiras
e nasceram verrugas em mim...
.
Vai-te daqui, se quiseres
o chão está sujo
assim como meus olhos
como meu corpo, minhas mãos...
.
[ - Cale a boca
e me deixe dormir
em seu colo, em paz,
.
para sempre, até a noite acabar...]

3 comentários:

d. disse...

A noite acabou
e você não esteve aqui.
Outros mundos por descobrir,
eu sei.
Mesmo assim eu fui lá fora.
A cidade estava vazia,
com tanta gente ocupada e sorridente.
O esconderijo,
em mim rarefeito,
ruiu.
Para sempre, você disse.
O sol a mim veio despertar.

douglas D. disse...

Desperta,
azul está o céu
e há vida por respirar.
Vem, escape-me de dentro de mim
pois eu inventei esse lugar sombrio
e isento de sorrisos
só pra sofrer, porque acreditei você não mais me amar.
Amanhece meus girassóis,
menina dos cílios de chuva.
Hoje sepultei o medo,naufraguei o rancor.
E mesmo que eu, atrapalhado que sou, em teus pés tropece,
te farei feliz,
saberei bailar.

ediney disse...

olha pasei por aqui só para dizer que gostei de vc ( em textos)